Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘textos’ Category

Olá pessoal, tudo bem?

Depois de muito tempo volto a postar com um texto de minha grande amiga e ex-parceira de dança (êta saudade! hehe) Camila Frabetti. Aproveitem:


O que perdemos pelo caminho…

Muitos de nós passamos pelos anos, meses, amigos, amores e dores inconscientes da mudança que neles causamos. E vamos passando… E vamos deixando rastros das coisas que perdemos pelo caminho da nossa vida.

E tudo pode ser desfeito num instante. Mas, no momento seguinte, cá estamos nós juntando trapos, fazendo remendos e reconstruindo aquilo que antes excluímos de nossas vidas. Ou não. Apenas juntamos tudo isso num cantinho, pegamos uma lembrança aqui, uma memória ali, e seguimos por uma trilha totalmente nova, perigosa e tentadora.

Mas, perceba você que, de uma forma ou de outra, aquilo que fomos e vivemos sempre fará parte do que ainda seremos. Olhe bem no fundo dos olhos de um senhor de 70 anos e ainda verá aquela magia de criança, somada à sagacidade adolescente, multiplicada pelo crescimento adulto e dividida pela experiência dos anos aparentes em rugas e cabelos grisalhos.

Interrompido-se um sonho, abre-se as portas para um novo. Afinal, como disse o filme que assisti ainda ontem (Coisas que Perdemos Pelo Caminho – Things We Lost in the Fire), toda história tem um fim, mas todo final é o primeiro passo para um novo recomeço.


Grande abraço. Fiquem na paz. Namastê 😉

Anúncios

Read Full Post »

E ai pessoal, beleza?

Para comemorar o dia de hoje, em que completo 29 anos de vida, deixo aqui algumas poucas linhas que escrevi certa vez para meu pai em seu aniversário.


Sabedoria da Vida

Ano após ano um novo ciclo se completa. E assim segue a vida, um ciclo começa quando outro termina, numa sucessão interminável e infinita.

A eterna e magistral sabedoria da vida está nisso, o começo, o meio, e o fim são uma coisa só, não existe diferença entre os 3 tempos, e na verdade eles não existem.

O que existe é o fluxo da continuidade, uma energia que jamais se extingue, que faz com que a vida continue, continue, continue…


É isso, brindemos à VIDA! Registro minha gratidão, por tudo! =)

Grande abraço. Cuidem-se. Namastê.

Read Full Post »

Paciente e Terapeuta

Dia 13 de outubro foi o dia do fisioterapeuta, um profissional que sempre esteve presente em minha vida e que aprendi a admirar, um profissional que promove saúde e bem-estar. Deixo aqui um texto em homenagem a todos os profissionais de fisioterapia, um texto que fala sobre a relação paciente/terapeuta mas que acaba servindo para outros tipos de relação também:


Paciente e Terapeuta

Quando paciente e terapeuta se conhecem e iniciam o tratamento dois mundos diferentes se encontram, e deste encontro nasce um novo, repleto de possibilidades, oportunidades e caminhos a serem trilhados. Uma relação de cumplicidade, respeito, confiança, amor e admiração é estabelecida. Uma parceria é firmada, onde as responsabilidades são de ambos; as descobertas, dúvidas, receios, aprendizados e resultados também.

Também é certo que sempre que houver real comprometimento, daquele que trata e daquele que é tratado, o resultado será o sucesso do tratamento fisioterápico. No entanto, é fundamental ter em mente que esse sucesso é relativo, e muitas vezes sutil, nesses casos não podendo ser medido pela visão ou tato. Mas existindo compromisso, dedicação e consciência de que algo de bom está sendo feito, o sucesso estará garantido.

A meta é a melhora, e quando possível, a cura do paciente, que não é o único beneficiado com a terapia. Os benefícios são também daquele que propicia o bem estar ao assistido. Não há como tratar sem tratar a si mesmo, cuidar do outro sem cuidar de si próprio, curar sem ser curado. É nessa relação de proximidade que paciente e terapeuta trocam experiências e crescem como seres humanos.

Talvez os momentos mais mágicos dessa vida aconteçam, justamente, quando as pessoas estão unidas buscando um mesmo objetivo, principalmente quando este é nobre. A Fisioterapia proporciona isso aos afortunados envolvidos em seu processo, é o que torna essa profissão tão valiosa e bela.

Abençoados sejam os que escolhem caminhar por essa estrada!


Uma salva de palmas aos fisioterapeutas, eles merecem!

Grande abraço a todos. Namastê.

Read Full Post »

Boa tarde a todos neste belo e ensolarado domingo,

Hoje quero compartilhar com vocês um texto especial, que fala de acontecimentos que muito me macaram nos últimos meses e encontraram seu ponto alto no último dia 30, data em que completei mais um ano de vida. Então aqui vai, espero que gostem:

Vinte e oito

Completo mais um ano de vida com um sentimento especial, diferente de todos já experimentados em aniversários anteriores. Sentimento motivado, sobretudo, pelos acontecimentos dos últimos nove meses, que modificaram e definiram, de maneira desafiadora e decisiva, muito da pessoa que sou hoje.

Em outubro meu mundo desabou diante de mim, de uma só vez. Nos meses seguintes passei a reconstruí-lo lentamente com as forças que me sobraram. Muitas vezes acreditei que seria capaz, outras vezes nem tanto e em tantas outras desacreditei por completo. Chorei aflito, e revoltado, não achava justo ter sido incumbido de tão árdua tarefa, ainda havia tanto por fazer, minha vida não podia se consumir nisso apenas.

Apesar do sofrimento continuava vivo e não me restava outra alternativa a não ser seguir com meu trabalho, reerguendo bloco a bloco as estruturas ruídas, quer dizer, até restava, mas não, eu não tomaria esse rumo, por mais que flertasse com ele em momentos de fraqueza. Minha tarefa, em parte, era de extrema solidão, mas nunca estive só, sempre houve quem me apoiasse, desse forças e dividisse comigo o peso dos pedaços de concreto esparramados pelo chão. A medida em que meu mundo voltava a tomar forma compreendia melhor os desígnios a mim cabíveis, e reconhecia o quanto eles me faziam mais maduro, mais senhor do que sou.

Foram meses em que lutei pela vida, pelo ar em meus pulmões, em que tive que por em pratica a teoria que pregava, em que vi a força que acreditava possuir se manifestar. Foram meses de constante superação, muita paciência e perseverança. Por fim, entrei em julho me sentindo vitorioso, tantos eram os avanços conquistados desde minha internação. Minha recuperação ainda não estava completa, mas meu mundo já se encontrava de pé novamente. No penúltimo dia do mês mais um ano teria início em minha vida e o que mais queria era festejar e me cercar de pessoas queridas. Queria festejar o fato de estar respirando, de estar vivo, de ter sido capaz de me fortalecer em meio às adversidades, de ter aprendido com cada vivência, de ter evoluído em espírito. Sentia meu coração mais sereno, maduro, iluminado; sentia ter ganhado muito mais do que perdido.

Amigos, amigas, namorada e alguns familiares encheram a casa na noite da festa. Estavam todos muito felizes em me ver bem, contagiávamos de alegria uns aos outros num clima de absoluta fraternidade. Minhas vitórias não eram só minhas, eram de todos, e o desejo de celebrá-las também. Conversamos, sorrimos, declamamos poesias, deixamos a emoção falar mais alto, cantamos. Ficamos a vontade, estávamos em casa, em família. Quando os convidados se foram deitei-me na cama, fechei os olhos e antes de adormecer sorri satisfeito.

Hoje tenho vinte e oito anos e está tudo tão mudado, sinto-me tão diferente, algo me diz que nada mais será o mesmo.

Nota do autor: em outubro de 2008 fui internado no hospital com problemas respiratórios decorrentes de uma pneumonia. Passei por uma traqueostomia e a respirar com auxilio de um aparelho de ventilação. Fiquei impossibilitado de falar e me alimentar por via oral. O fato de ser portador de Distrofia Muscular de Duchenne, deficiência na qual os músculos se enfraquecem com o passar do tempo, tornava meu quadro ainda mais delicado e a recuperação mais difícil. Fiquei um mês internado, e por permanecer todo esse período acamado perdi bastante de meu condicionamento físico. No dia 30 de julho de 2009, dia de meu aniversário, continuava traqueostomizado, mas já respirava com minhas próprias forças, conseguia ficar algumas horas sentado em minha cadeira de rodas e podia falar.


Beijos, abraços e uma ótima semana a todos. Namastê.

Read Full Post »

Muita gente anda por aí dizendo que temos que ser fortes, mas eu lhes pergunto: de que adianta sermos fortes se não tivermos paz dentro de nós? Para algo ser forte ele precisa de outro algo, consistente o suficiente, que sustente essa força. Como poderemos ser verdadeiramente fortes se estivermos em desarmonia, ansiosos, temerosos, fragilizados? Não há como, só conseguiremos uma força vazia, e uma força vazia de nada vale. É preciso estar em paz consigo, em todos os sentidos, é preciso ter plena confiança de que, aconteça o que acontecer, você estará sempre do seu lado fazendo o seu melhor, de que, venham os resultados esperados ou não, você ficará bem e isso lhe bastará, para então ver sua força brotar, uma força inabalável, capaz de atravessar as mais terríveis tormentas.

Ao invés de dizer a alguém “seja forte”, diga “fique em paz”, pois é nela [na paz] que esse alguém encontrará a força de que necessita.

Abraços a todos, até a próxima. Namastê.

Read Full Post »

Há tempos venho pensando na fragilidade e força do ser humano, e depois de minha internação (veja o tópico “Minha vida hoje”, postado em fevereiro) essa questão ficou ainda mais forte para mim. Escrevi algumas poucas linhas sobre o tema, que agora compartilho com vocês:

Certos acontecimentos em nossas vidas nos colocam fente a frente com a fragilidade da condição humana, e geralmente precisam de um tempo para serem elaborados, compreendidos e aceitos.

Muitos são os riscos que corremos e os perigos aos quais estamos sujeitos, seja lá onde estivermos. No entanto, tenho observado que o ser humano é capaz de superar inúmeros dos acidentes que ocasionalmente pode vir a sofrer no decorrer de seu percurso, deixem sequelas ou não. O ser humano é dotado da habilidade de atribuir novo significado, sentido e direção à sua vida, sendo capaz de adquirir um novo olhar sobre todas as coisas e seguir adiante.

Em nossos corpos está a fragilidade mas em nossos espíritos está a fortaleza. Essa é a dualidade que experimentamos desde o nascimento. Sou levado a crer que somos colocados em uma carne fraca só para descobrirmos toda a extensão da nossa força, do nosso poder. Nunca diga que é impossível antes de tentar, você corre o sério risco de estar enganado, você é mil vezes mais forte do que pensa.

Fica aí a reflexão…

Grande abraço e Namastê!

Read Full Post »